Abertura 24 horas do Ibirapuera terá consulta pública

A sociedade civil ficou dividida sobre a abertura ou não do Parque Ibirapuera nas madrugadas de sábado para domingo, conforme nota da última reunião do Conselho Gestor do Parque no dia 04 de setembro de 2013. A nova reunião onde provavelmente será feita uma votação para decidir o assunto esta marcada para o dia 19 de setembro e é aberta ao público.

Segue nota da Prefeitura:

Abertura 24 horas do Ibirapuera terá consulta pública

Iniciativa promovida pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente foi debatida em reunião com o conselho gestor do parque. Nova reunião foi marcada para o dia 19

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente deve lançar nos próximos dias uma consulta pública virtual para descobrir qual é a opinião da população quanto à abertura do Parque do Ibirapuera por 24 horas nos finais de semana. A iniciativa surgiu como proposta do conselho gestor do equipamento, em reunião promovida com a Prefeitura na manhã desta quarta-feira (4), na Escola Municipal de Astrofísica.

“Nós viemos aqui com o intuito de começar este debate. Estamos aqui para ouvi-los e avaliar qual será a melhor ação a ser tomada”, afirmou Milton Persoli, diretor de Parques e Áreas Verdes da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.

O diretor afirmou que a oferta de opções de lazer durante a madrugada não é uma ação isolada no parque, mas, sim, um plano da Prefeitura, que deve também abrir outros 31 equipamentos aos finais de semana, entre Clubes da Comunidade (CDC´s) e Centros Educacionais Unificados (CEUs). “A cidade está reivindicando alternativas de lazer e São Paulo está oferecendo isso a seus munícipes”, afirmou.

Durante o encontro, Persoli detalhou uma série de pontos da proposta defendida pela Prefeitura. A abertura do Parque Ibirapuera por 24 horas não será ininterrupta por toda a semana, mas promovida apenas nos finais de semana, de sábado para domingo. Ainda assim, somente parte do parque poderá ser acessado entre meia-noite e 5 horas – período em que hoje permanece fechado. As áreas de maior densidade de árvores e as regiões ao redor do lago serão preservadas, visando à proteção da fauna existente.

O portão 2, localizado na avenida Pedro Álvares Cabral, será o único aberto durante o período em questão. O acesso ao parque durante a madrugada vai ser permitido apenas a pedestres e ciclistas. A partir das 22 horas, os acessos veiculares serão fechados e, todos os carros que já estiverem pelo parque devem ser retirados até a meia-noite. Após este horário, permanecerão apenas os carros da Guarda Civil Metropolitana (GCM).

Persoli lembrou ainda que a GCM vai reforçar o seu efetivo durante a madrugada e que vigilantes contratados pela Prefeitura irão auxiliar na segurança do parque. Além disso, o “autorama”, antigo estacionamento do Detran anexo ao parque e alvo de antigas reclamações de moradores do entorno por supostos casos de prostituição de menores e tráfico de drogas, também será fechado entre 0h e 5h.

“A decisão de abrir áreas verdes e públicas à noite foi acertada. São Paulo precisa de mais verde e muitas vezes não temos como criar parques de uma hora para outra. Percebemos um esforço contínuo da Prefeitura em tentar baixar o custo dos parques e aumentar o número deles pela cidade. Acredito que essa iniciativa vai nesse sentido, de tornar São Paulo uma cidade melhor, mais aberta e mais verde”, afirmou Thobias Cortez Furtado, conselheiro representante da sociedade civil.

Apesar de favorável à abertura, Furtado pontuou que os eventos e shows recebidos pelo equipamento devem ser melhor administrados, até mesmo para a sua conservação. Durante a madrugada, no entanto, só serão autorizados eventos apropriados ao horário, respeitando-se ao Programa de Silêncio Urbano (Psiu). Entre as atividades previstas pela Secretaria estão exposições de artesanato e projeções de cinema mudo.

A falta de segurança na região e de uma unidade móvel de saúde no parque, o choque entre tribos, a venda irregular de bebidas alcoólicas, a regulamentação dos ambulantes cooperados e a dificuldade de acesso ao local durante a madrugada foram alguns dos pontos levantados pelos conselheiros e elencados como prioritários. “Mexemos com um barril de pólvora. Há tanto problema já acontecendo durante o dia. Por que não acertar todos esses pontos à luz do dia e depois pensar se podemos estender para a noite?”, questionou Otávio Villares de Freitas, membro do conselho.

O diretor de Parques e Áreas Verdes anotou todos os pontos levantados e afirmou que os levaria à Secretaria do Verde e do Meio Ambiente para discussão e análise. Uma nova reunião do conselho com a Prefeitura foi marcada para o dia 19 de setembro, às 18 horas, no mesmo local.

Foto
Crédito: João Luiz/SECOM